domingo, 2 de abril de 2006

Kirchner celebra o desembarque nas Malvinas e diz que elas são um objetivo "irrenunciável" (02/04)


O presidente da Argentina, Néstor Kirchner, marcou o ato de hoje em memória do desembarque argentino nas Malvinas (2 de abril de 1982) com:

1) Uma declaração de que as ilhas (ocupadas pelo Reino Unido; clique na imagem de satélite do Google Earth para ampliar) são um objetivo "permanente e irrenunciável" do povo argentino.

2) Um pedido de perdão aos ex-combatentes que participaram da guerra, há 24 anos, em que os britânicos retomaram as ilhas.

3) Um pedido a Londres para que "mostre disposição de negociar nossa soberania sobre as ilhas".

4) Fortes críticas aos militares que "usaram o conflito para superar uma situação adversa (...), para salvar a ditadura".

5) Um duro ataque aos grupos econômicos “que apoiaram a ditadura mas não respaldaram nossos soldados" no campo de batalha.

6) Evocações aos que tombaram na guerra e ao “patriotismo e sacrifício” dos soldados argentinos.

Para ler mais sobre a fala de Kirchner e as comemorações na Argentina, clique aqui. Para ler mais sobre a Guerra das Malvinas (que os ingleses chamam de Falklands), clique aqui.

Clique aqui para assinar este blog

2 Comentários:

Blogger Ricardo disse...

Bravos Bravateiros de Latinamerica... Depois culpam-se os EUA pela desgraça da região.

domingo, 2 de abril de 2006 19:06:00 BRT  
Anonymous Marcelo de Oliveira Passos disse...

Pelo visto Kirchner não é só populista na economia.
Também o é em política externa.

segunda-feira, 3 de abril de 2006 15:36:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home