sexta-feira, 7 de abril de 2006

FHC: mais uma frase infeliz (07/04)

Alon Feuerwerker
(Publicado no Correio Braziliense em 07 de abril de 2006)


O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso juntou mais uma às declarações infelizes que dá de vez em quando. Em entrevista na noite de quarta-feira no Programa do Jô, da TV Globo, Fernando Henrique afirmou que o “pobre” quando chega “lá em cima” corre o risco de virar “outra coisa”, ou seja, deslumbrar-se com a mudança social conseguida pela chegada ao poder. “Você tem que cuidar muito. Você pode ser pobre na origem. Isso é que tem que cuidar. Chega lá em cima, vira outra coisa. Aí é um perigo, porque sem querer começa a fazer coisas que nunca imaginou na vida”, afirmou Fernando Henrique.

Por inabilidade, espontaneidade ou temperamento, Fernando Henrique é mestre em criar polêmica com declarações que podem ser interpretadas como elitistas ou arrogantes. Foi assim quando associou os servidores públicos que se aposentam precocemente a “vagabundos” e quando reagiu aos que o chamavam de neoliberal qualificando-os de “neobobos”.

Na conversa com o apresentador Jô Soares, o ex-presidente tucano discorreu longamente sobre o tema da suposta mudança de comportamento dos petistas depois que chegaram ao poder. “O poder é um perigo, é destrutivo”, advertiu Fernando Henrique. “As pessoas pensam que podem tudo.” Ele defendeu que “o mais importante é não mudar o seu jeito de ser”. “Não pode querer subir na vida”, afirmou.

Referindo-se aos petistas, criticou: “Repara esse pessoal. Muda de automóvel, muda de roupa, muda de mulher, muda de emprego. Aí não dá, você vira outra pessoa. Fica tão feliz de estar na badalação que acha que vai ter o poder para sempre”.

Fernando Henrique deu a receita para evitar que o governante caia no “auto-engano”: “precisa ter gente atrevida” para dizer as verdades ao presidente. Como exemplos desse tipo de pessoa, citou os ex-ministros José Serra e Clóvis Carvalho, além de sua ex-assessora Ana Tavares. Disse ainda que o presidente precisa ser “gente”, e não “uma função”.

Críticas
O ex-presidente recebeu críticas de adversários, mas os aliados interpretaram que ele não se referiu aos “pobres” em geral, apenas aos petistas e a Luiz Inácio Lula da Silva. “É uma afirmação elitista, que deve ser questionada pelo fato de ele, quando presidente, ter-se transformado de príncipe dos sociólogos em sociólogo dos príncipes”, atacou o deputado federal Chico Alencar (PSol-RJ). “É uma conceituação infeliz, pois a ética do pobre é a mesma do rico”, criticou o senador Tião Viana (PT-AC)

“Ele não falou em geral, falou especificamente do Lula”, rebateu o senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT). “Os de baixo são majoritariamente honestos. O que aconteceu foi o deslumbramento do PT e dos petistas, que deu nisso que estamos vendo, todo esse espetáculo de corrupção”, disse o senador tucano. “Essa modificação radical aconteceu mesmo com os petistas. Posam de pobres mas na hora em que estão lá em cima mudam”, concordou o senador Heráclito Fortes (PFL-PI). “O povo não é assim, é trabalhador. Está na cara que o Fernando Henrique não falou genericamente.”

Clique aqui para assinar este blog (Blog do Alon)

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

15 Comentários:

Anonymous Luis Carlos disse...

Alon, ótimo você chamar a atenção dos leitores do blog para as declarações do ex-presidente. Aliás, o mesmo assunto foi abordado hoje pela Maria Cristina Fernandes do jornal Valor Econômico sob o título do “Eterno Suspeito” (Não sei como criar um link com o site do Valor para o pessoal ter acesso). A colunista mostra outras declarações como a de outro sociólogo Leôncio Martins Rodrigues, que anda por aí, do alto de sua formação, declarando que “os pobres se lambuzam no poder” quando chegam lá. Divertidíssimas as falas dos dois sociólogos, um ex-presidente e outro decano uspiano. O problema, arrisco aqui um palpite, é o bom humor do ex-presidente. Acho que ele quer fazer humor e acabam levando-o muito a sério. Quanto ao Leôncio Martins a coisa parece um pouco diferente. As declarações são engraçadas, mas ele as faz com seriedade, “embasado” na ciência. Mas fiquemos tranquilos, como já disse o Drummond “eles passarão. Eu passarinho”. Na virada do século XIX para o século XX muitos cientistas, ou os Leôncios e FHCs da época, vinham com “teorias da raça”, de que esse negócio de misturar branco com negro, não ia ser bom para o país. Hoje tais teorias não são levadas a sério. Talvez o melhor para nós seria nos antecipar e não esperarmos para apenas nossos filhos e netos riam destas teorias cientificas suspetíssimas. Que tal rir agora? Vamos fazer como o ex-presidente.

sexta-feira, 7 de abril de 2006 15:31:00 BRT  
Blogger KKU disse...

Realmente o ser humano, principalmente quando tem o poder de falar para uma platéia age com hipocrisia. Fala algo que não pensa para sr politicamente correto.
O que o FHC disse a respeito do pobre, querendo naturalmente se referir ao Lula, não tem nada de mentiroso. Ele foi sincero, mas como a maioria dos eleitores são pobres, nada como polemizar a frase que ele lançou a respeito do encantamento dos pobres com o poder.
Duvido que qualquer um não concorde com ele, mas é mais divertido chamá-lo de elitista e vê-lo em situação constrangedora.
Só discordo de FHC que não é a pobreza que traz o deslumbramento e sim o despreparo para o cargo. Talvez alguns prefiram o Lula como o nosso representante em visitas de Estado, mas eu me sinto mais seguro com homens do quilate de FHC nessa missão.

sexta-feira, 7 de abril de 2006 15:44:00 BRT  
Anonymous .Xavier disse...

seus posts sou muito poucos e estão muito grandes. aliás o único blog com espírito de blog mesmo é o do moreno. Conta casos, fala de bolo, "bate boca" com leitor, tudo bem pessoal e informal.
Os demais, o seu, do fernando, do noblat e demais sao noticiarios pessoais.

sexta-feira, 7 de abril de 2006 16:04:00 BRT  
Anonymous Dourivan Lima disse...

Creio que há uma certa "moral de torcida" tanto em relação a FHC quanto a Lula (mais ou menos semelhante ao que ocorre nos blogs, discussão que você repercutiu ontem). Quem antipatiza com um sempre vai pegar pesado nas bobagens ditas por ele e ser complacente em relação ao outro. Pessoalmente, acho que os dois falam mais do que o recomendável pelas posições que ocupam. O modelo deveria ser Tancredo, a quem Millôr criticou a proeza de "ter vivido 75 anos só dizendo o que é conveniente".

sexta-feira, 7 de abril de 2006 16:09:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Poucas vezes li algo tão bobo qto esse comment anterior. Cada um faz o blog que quiser. Eu prefiro esse do Alon, que tem análises políticas, cultura e bom-humor refinado. Mas cada um freqüenta o ambiente que quiser. Vc quer receita de bolo? Procura tua turma.

sexta-feira, 7 de abril de 2006 16:17:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Da mesma que o outro diz que não vai morar no exterior quando terminar o mandato ou que fez mais do que todo mundo que governou antes. Até Pedro Álvares Cabral já entrou na história e nem governante foi. Um lado chama o outro de pavão, mas ambos emplumam a calda. O problema é que cada um desqualifica o pavoneio do outro. Haja!!!

sexta-feira, 7 de abril de 2006 16:46:00 BRT  
Anonymous Luis Carlos disse...

Haja...

sexta-feira, 7 de abril de 2006 17:53:00 BRT  
Anonymous .Xavier disse...

bom anonimo, acho que nao me fiz entender por voce. Nao critiquei o conteúdo, mas sim a forma. Os posts do Alon sao realmente grandes, e ele posta eventualmente. Claro que o blog é dele e o faz como der na veneta, mas o grande barato dos blogs é terem um texto mais solto que o jornalístico e isso, dos blogueiros apontados, apenas o do moreno mantém o espírito.

ps. o bolo em questão é o bolo de rolo, feito pela esposa de severino cavalcanti, que moreno contou gostar muito e ganhou uma enorme polêmica com os leitores que viram uma proximidade indevida no caso.
Foi isso sr anonimo.

sexta-feira, 7 de abril de 2006 19:50:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

O Xavier tem razão em parte. Não vejo problema no Alon postar só eventualmente, este blog não é "profissional", e por isso gosto mais dele do que dos demais. Também gosto de textos longos, analíticos, acho que já virou uma característica deste blog. Mas concordo que ele devia botar também umas notas mais curtas sobre variedades.

sexta-feira, 7 de abril de 2006 20:04:00 BRT  
Anonymous Fernando disse...

Existe todo tipo e estilo de blog, e é muita pretensão alguém querer ensinar o que é um "verdadeiro" blog ou não. Um dos pioneiros (talvez *o* pioneiro) dos blogs, Dave Winer, escreve no mesmo formato do Alon. Esteve ele sempre errado?

sexta-feira, 7 de abril de 2006 22:47:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Essa patrulha bom-mocista feita toda vez que FHC fala alguma coisa eh ridicula. Ora, querem calar o homem? Nao pode falar que Lula eh deslumbrado? Soh discordo de FHC quando ele diz que os petistas sao pobres deslumbrados. De pobres eles nao tem nada. Que eu saiba Lula vive muito bem ha pelo menos uns 25 anos. Sem trabalhar. Por favor, me digam algo de produtivo que Mercadanta, Genoino e Dirceu tenham feito em favor deste pais? Seriam eles pobres? Mas sao, sim, deslumbrados. Ulisses Guimaraes dizia que o poder eh um orgasmo.... Palocci e a cupula petista levaram isso ao peh da letra....

domingo, 9 de abril de 2006 05:17:00 BRT  
Anonymous luis carlos disse...

Olha aí, não disse que o pessoal leva a sério o que o Fernando Henrique diz? A propósito dos orgamos, pobre Fernando Henrique, não sentiu quando foi presidente. Tanto não sentiu orgamos que não promoveu a mudança da Constituição em proveito próprio, ou seja, para instituir a reeleição no Brasil e aumentar seu mandato em mais quatro anos...
Outra coisa importante: melhor discurtimos se quem está agora, e quem já esteve, estão, ou estavam, preparados para governar (capacidade para implementar política economica, política social, fazer reformas necessárias etc). Vai sobrar crítica para ambos, FHC e Lula. A discussão aqui é: quando o Fernando Henrique disse que pobre fica deslumbrado quando chega ao poder, quer dizer que não é bom colocá-los lá porque não conseguirão governar.
Por último, colocar nesta discussão que o problema é o Lula nunca ter trabalhado empobrece o debate.

domingo, 9 de abril de 2006 17:31:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Pois bem, querem debate "qualificado"? Que me diga qual politica social Lula implamtou que jah nao havia sido implantada no governo FHC? (alguem ainda lembra do Fome Zero??) Que me digam qual a proposta inovadora do petismo que nao copie o programa do seu antecessor? (Alguem lembra do nao-pagamento da divida externa??).
Por favor, nao me lembrem do inovador Prouni, o programa que transfere recursos publicos para vagas ociosas ociosas de faculades privadas (ou seja, para as piores vagas das piores faculdades....). Junte-se a isso tudo o "excesso" de democracia caracteristico de Lula e temos o pais que cresce apenas mais do que o Haiti.

Agora, lembrar que Lula nunca trabalhou nao empobrece o debate nao. Lembra exatemente o despreparo do homem que estah lah em cima. Que, chegou lah lah!!

domingo, 9 de abril de 2006 20:56:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Uma comparacao despretensiosa... Imaginem se os principais ministros (ou aliados) de FHC tivessem caido atraves de denuncias dos proprios aliados (foi assim ateh agora com o governo de Lula). Imaginem se Pedro Malan estivesse envolvido com alguma casa de prazeres... Qual seria o comportamento do PT? Sera' que eles pensariam na "estabilidade do pais alcancada durante o governo FHC" ? Pensariam eles em tirar algum proveito politico da hipotetica situacao???

Imaginem os discursos dos Mercadante, Genoino e Dirceu da vida... as entrevistas na TV...

Nunc, "na historia deste pais" , um governo tao ruim teve uma oposicao tao benefica (ou incompetente) como este.

domingo, 9 de abril de 2006 21:59:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Falando de Lula ou de uma multidão não importa, a palavra chave é a pobreza que ele não cuidou de acabar em seu governo, preferindo a venda de uma empresa como a VRD por apenas 10% do valor de mercado. Eles voltarão ao poder? Deus salve o Norte e o Nordeste, Deus salve todos os pobres do país. Será que na Alemanha nazista não começou assim?

domingo, 16 de abril de 2006 10:59:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home