terça-feira, 21 de março de 2006

Irmãos Cara-de-Pau: um remake (21/03)

Nunca estive lá, mas quem esteve diz que John Belushi é um orgulho nacional na Albânia. O ator americano, morto de overdose em 1982, era descendente de albaneses. É mais ou menos como alguém nascido no interior do Piauí fazer sucesso em Hollywood. Quando acontecer, o sujeito vai virar herói dos piauienses. A Albânia é o país menos desenvolvido da Europa e durante mais de quarenta anos foi governada pelos comunistas. Conseguiu a façanha de, um dia, estar rompida ao mesmo tempo com a União Soviética, a China e o vizinho mais poderoso, a Iugoslávia.
John Belushi contracenou com Dan Aykroyd no sensacional The Blues Brothers, exibido aqui como Irmãos Cara-de-Pau. Para salvar o orfanato onde foram criados, dois irmãos decidem retomar a antiga banda e fazer um grande show para pagar as dívidas. Dirigida por John Landis, a fita traz uma participação linda de Ray Charles.
Talvez esteja na hora de um remake. Aqui e agora, o novo Irmãos Cara-de-Pau poderia ser protagonizado por tucanos e petistas. No mesmo dia em que o PSDB empreendia sua cruzada supostamente moralizadora e pedia a cabeça do ministro da Fazenda, Antonio Palocci, o Senado arquivava a representação contra o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG). De todas as peraltices de Marcos Valério, uma que está bem definida, medida e documentada é o caixa 2 do governador Azeredo em 1998, quando disputou a reeleição e perdeu para Itamar Franco (PMDB). O tucano livrou-se e ninguém do PT chiou. O PT do Senado não quer confusão com essa história de caixa 2, e faz tempo.
Talvez esteja certo. Talvez fosse mesmo um absurdo completo cassar o senador por causa de caixa 2, coisa que segundo Roberto Jefferson todo mundo faz (até hoje ele não foi contestado). Mas é util prestar atenção nessa indignação seletiva dos políticos. Indignação seletiva e agendada. O PSDB, por exemplo, só ficou indignado com Palocci depois que definiu seu candidato a presidente e a campanha eleitoral começou para valer.
É por coisas assim que menos paixão e mais inteligência na política são sinônimos.
Na foto (clique para ampliar), Belushi (à direita) e Aykroyd numa cena famosa de Irmãos Cara-de-Pau.

2 Comentários:

Anonymous Artur disse...

Creio que este post será contemplado com silêncios eloqüentíssimos. De 'ambas as 2' partes.
Particularmente pelo convite à substituição da paixão pela razão.

terça-feira, 21 de março de 2006 21:09:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

É isso aí, caro Alon.Isso aí, mesmo!

Luis Carlos

quarta-feira, 22 de março de 2006 15:45:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home