terça-feira, 14 de fevereiro de 2006

Opinião: O ano das trapalhadas tucanas (15/02)

Alon Feuerwerker

Correio Braziliense, 15 de fevereiro de 2006 (em São Paulo) - Políticos amam as pesquisas favoráveis e odeiam as desfavoráveis. É compreensível os tucanos criticarem números que os colocam atrás de Lula na corrida presidencial. Mas o levantamento CNT-Sensus apenas confirmou o que o Ibope e o Datafolha já tinham mostrado: a recuperação do presidente. Em benefício próprio, talvez o PSDB devesse acender velas em vez de amaldiçoar a escuridão. Em dezembro, tucanos avaliaram que Lula estava agonizante e que o próximo presidente da República seria indicado por um sínodo deles próprios. O que se viu em seguida foi a balcanização do partido, uma guerra fratricida pelo troféu antes mesmo da final do campeonato.
Se a sucessão de 2002 fez ruir o mito do profissionalismo do PFL, 2006 ameaça ficar marcado como o ano das trapalhadas tucanas. Trapalhadas que talvez decorram de um erro de avaliação, cuja responsabilidade pode ser em boa parte creditada à obsessão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso com a própria biografia. FHC procura fazer crer que Lula comanda um governo desastroso. Como os tucanos não conseguem provar a tese com números ou argumentos, ficam reféns de sua própria retórica. Uma repetição tardia do tipo de oposição que a UDN fez a Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek.
Lula, ao contrário, teve a sorte de estar, ou parecer, muito perto da derrota. A ameaça do desastre injetou coesão num PT que vinha dilacerado pela crise. Quando Wladimir Palmeira diz que aceita dividir com Marcelo Crivella o palanque de Lula no Rio, dá um sinal forte de que o partido vai se concentrar completamente na reeleição do presidente. Como o animal preso na armadilha, entrega partes do corpo para tentar salvar a vida.
Manter o poder é prioridade absoluta do PT. Há dúvidas sobre se conquistá-lo agora é mesmo uma prioridade tucana.

1 Comentários:

Anonymous Marcus Pessoa disse...

Olá, caro Alon. Conheci seu blog através do link do Josias, mas já lia seus textos na época em que você escrevia na Folha de S. Paulo. Parabéns pelo blog!

Sobre o assunto do post: mesmo que haja alguns números aparentemente inconsistentes na pesquisa, é uma grande bola fora do PSDB questioná-la. Fica com cara de mau perdedor. É uma pesquisa séria, que vem sendo feita há muitos anos, e é bobagem duvidar de sua veracidade. Sei lá, acho que os tucanos estão meio desesperados -- como você disse, não parecem aqueles profissionais competentes da política de que se falava. As declarações agressivas e despropositadas de Fernando Henrique, ao que parece, foram desastrosas para as pretensões do partido.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2006 09:22:00 BRST  

Postar um comentário

<< Home