domingo, 5 de fevereiro de 2006

Boas e más notícias para Lula na pesquisa Datafolha (05/02)

As boas notícias para Lula na pesquisa Datafolha divulgada ontem:

1) O presidente se recupera na avaliação popular. Tem 36% de ótimo+bom, oito pontos acima da última pesquisa. Ruim+Péssimo caiu para 23% (29%), Regular não mudou (39%, contra 41% da anterior).

2) Lula pode ganhar no primeiro turno se em outubro o candidato do PSDB for Geraldo Alckmin e o do PMDB, Germano Rigotto. Leia na nota anterior.

3) Lula empatou com Serra no primeiro turno (Serra 34%, Lula 33%; na última pesquisa, o resultado era Serra 36%, Lula 29%).

4) Lula abriu distância de Alckmin, dobrou a diferença de oito para 16 pontos (Lula 36%, Alckmin 20%; era Lula 30%, Alckmin 22%).

5) Lula diminuiu a diferença para Serra no segundo turno (Serra 49%, Lula 41%; era Serra 50%, Lula 36%).

6) Lula agora ganha de Geraldo Alckmin no segundo turno (Lula 48%, Alckmin 39%; era empate técnico: Lula 41%, Alckmin 40%).

As más notícias para Lula na pesquisa Datafolha divulgada ontem:

1) Lula ainda não conseguiu passar Serra no primeiro turno, apesar de estar desde o início do ano em campanha praticamente sozinho, com aparições de mídia e comícios quase diários. Enquanto isso, Serra está imobilizado em São Paulo e às voltas com as disputas internas no PSDB. Sem falar na mídia negativa em torno de sua possível saída do cargo de prefeito com quase três anos de mandato a cumprir.

2) Lula continua perdendo de Serra no segundo turno, válidas todas as condições descritas no item 1.

3) O crescimento de Lula está concentrado principalmente entre os mais pobres e no Nordeste, segmentos em que a abstenção e a volatilidade do voto são maiores.

4) Lula perdeu (ainda mais) espaço na classe média e na elite.

1 Comentários:

Blogger Ricardo disse...

Alon

São as últimas 2 questões do resultado negativo de Lula que interessam nesse momento. Por exemplo, o caso de Alckmin e Rigotto é, sinceramente, pouco importante, já que Rigotto é ainda mais desconhecido que Alckmin - e ele terá um grande espaço de crescimento com um pouco de força do PMDB. Há que se considerar que Alckmin e Rigotto tendem a disputar o mesmo tipo de voto, à diferença de Serra.
Está se dando importância demais a uma suposta recuperação de Lula, quando o que aconteceu foi que ele conseguiu reverter parte da volatilidade dos meses anteriores. Da classe média, ele não consegue mais nada. Será que ele consegue ganhar sem os votos que decidem? Eu duvido - exceto numa situação de polarização à venezuelana.

domingo, 5 de fevereiro de 2006 13:30:00 BRST  

Postar um comentário

<< Home