quinta-feira, 5 de janeiro de 2006

Partido de Sharon lidera, mesmo sem Sharon (05/01)

Pesquisa de intenção de voto em Israel indica que o partido recém-formado por Ariel Sharon, o Kadima (Avante, em hebraico), conseguiria 42 das 120 cadeiras do Knesset (Parlamento) se o candidato a primeiro-ministro fosse o ex-trabalhista Shimon Peres. Seria a maior bancada. Se o premiê em exercício, Ehud Olmert, liderasse a lista, a sigla teria 40 cadeiras. Outros candidatos a liderar o partido vêm atás. A pesquisa foi feita hoje. Leia na edição online do diário israelense Haaretz (em inglês; o gráfico é do site do jornal, clique sobre ele e depois volte no navegador). Um relato mais detalhado da mesma pesquisa está no Jerusalem Post.
Os números são sinal de que a "terceira via" centrista pode se manter como alternativa política majoritária, mesmo sem Sharon. O Kadima é formado por dissidentes do Likud (direita nacionalista) e do Partido Trabalhista (social-democracia nacionalista). Defende que Israel busque, se necessário unilateralmente, fronteiras demograficamente seguras para o estado judeu. Opõe-se com isso à linha de concessões progressivas dos trabalhistas e também ao desejo do Likud de manter sob o controle isarelense áreas de demografia majoritariamente palestina.

0 Comentários:

Postar um comentário

<< Home