quinta-feira, 12 de janeiro de 2006

O outro lado da política cambial (12/01)

O governo comemora a redução da dívida indexada ao câmbio, mas os repórteres Luiz Sérgio Guimarães e Alex Ribeiro, do Valor (para assinantes), mostram os custos dessa política. Transcrevo dois trechos:

"
Se o BC tivesse optado por rolar a dívida cambial em vez de trocá-la, a dívida líquida como proporção do PIB teria caído para 47%. A decisão de substituir dívida barata por dívida cara manteve a relação em 51%."

"As compras diretas feitas pelo BC e o Tesouro no ano passado, no valor de US$ 35,5 bilhões, geraram dívida nova indexada ao juro interno equivalente a R$ 79,88 bilhões, correspondente a 4,17% do PIB. Esse endividamento terá um custo este ano de R$ 12,78 bilhões, relativo à incidência da Selic média de 16%, apenas parcialmente compensado pela remuneração (4,5%) das reservas internacionais e pelo pagamento de juros (8%) da dívida externa."


0 Comentários:

Postar um comentário

<< Home