terça-feira, 20 de dezembro de 2005

Análise: Bater em FHC não resolve

Alon Feuerwerker

Correio Braziliense, 20 de dezembro de 2005 - Ministros que participaram da reunião de ontem concluíram que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva está 100% determinado a mostrar que faz um governo melhor que Fernando Henrique Cardoso. Ordenou a todos que estudem os números das diversas áreas e entrem na guerra.
A diretriz presidencial tem um componente relacionado à eleição. O terceiro andar do Palácio do Planalto acredita que a comparação com os oito anos de FHC vai quebrar as pernas dos tucanos. Mas tem também um vetor não propriamente político. É o prosseguimento de uma disputa pessoal de três décadas entre o sociólogo e o operário.
A estratégia de Lula é duvidosa. Seu adversário do PSDB no ano que vem não será FHC. O nome mais provável é José Serra, nas últimas duas décadas o prefeito de São Paulo mais bem avaliado pelos paulistanos ao final do primeiro ano de mandato. Ou, menos provavelmente, Geraldo Alckmin, governador de São Paulo com ampla aprovação administrativa.
Não vai ser fácil para Lula convencer que administra melhor que qualquer um dos dois. Além do mais, eleições costumam ser decididas com base em apostas sobre o futuro. Passado é importante, é currículo, mas não decide. No concurso público da eleição, currículo é eliminatório, não classificatório.
Lula ganhou em 2002 porque cerca de 20% dos eleitores, que antes não votavam nele, deram-lhe uma chance. O problema de Lula em 2006 não é dizer que foi melhor que FHC. Ninguém está propondo o "volta FHC". O grande desafio de Lula é explicar a esses 20% o que vão ganhar se lhe derem mais quatro anos na cadeira presidencial.

2 Comentários:

Blogger Mari Ceratti disse...

E a candidatura do Aécio Neves? Você acha que ele está totalmente descartado pelo PSDB para a candidatura em 2006? Pessoalmente não simpatizo com ele, apesar de considerá-lo um candidato forte (só não sei se para 2006 ou 2010).
Abs,
Mari

quarta-feira, 21 de dezembro de 2005 19:25:00 BRST  
Blogger Alon Feuerwerker disse...

Acho que o Aécio ficou um pouco para trás, nessa disputa Serra-Alckmin. Mas não acredito que esteja descartado. O Serra só não vai ser o candidato se não quiser. Mas, se isso acontecer, penso que o Aécio está no jogo.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2005 19:35:00 BRST  

Postar um comentário

<< Home