segunda-feira, 14 de novembro de 2005

Eloqüente, mas sem agressões

Alon Feuerwerker

Correio Braziliense, 13 de novembro de 2005, de Sinop (MT) - Do mato que era grosso, sobrou apenas o nome. A madeira já foi levada embora. 0 gado que ocupou seu lugar, também. Agora é a soja quem reina na região de Sinop, quase 600km ao norte de Cuiabá, rumo a Santarém (PA). A prosperidade trazida pelos dólares do agronegócio é a marca mais visível dessa beirada da Amazônia dominada por gaúchos, catarinenses e paranaenses.
A cerca de 80km de Sinop, Vera tem pouco mais de 10 mil habitantes. A chegada de Roberto Jefferson à cidade não causou comoção. Ele foi recebido com o respeito que merece um lutador de boxe que vem desafiar o campeão local. Seu adversário era Cláudio Alves Pereira, o mais famoso advogado criminalista da área. "Não dava para perder essa batalha", disse Ivania Benedett de Souza, estudante de Direito em Sinop.
A divisão no corpo de jurados foi o espelho da cidade dividida. Nas casas e bares, os cidadãos acompanhavam cada lance da batalha para prender ou soltar Vilmar Taffarel, 36, o "Nenê ". Sueli Alba tentou entrar na Câmara Municipal vestindo uma camiseta com o rosto da filha Keila. 0 juiz, Wendel Simplício, não deixou. No ginásio de esportes, centenas acompanhavam o julgamento num telão.
Nas argumentações finais, Jefferson e Pereira fizeram um duelo de mais de cinco horas. 0 Jefferson de Vera foi eloqüente, mas não agressivo. Preferiu argumentar a bater. Lembrou mais o parlamentar que ajudou na aprovar as reformas em 2003 do que o denunciante de 2005. Ao final, Pereira prestou-lhe sua homenagem: "Poucas vezes aprendi num júri. Hoje foi uma delas".

0 Comentários:

Postar um comentário

<< Home