quinta-feira, 10 de novembro de 2005

Caso Mabel vai hoje a votação

Alon Feuerwerker

Correio Braziliense, 9 de novembro de 2005 - O plenário da Câmara dos Deputados decide hoje o destino político do líder do PL, Sandro Mabel (GO). Ele foi inocentado por unanimidade pelo Conselho de Ética da acusação de oferecer dinheiro para que uma deputada tucana de Goiás, Raquel Teixeira, aderisse ao seu partido. Mabel estará livre da cassação se houver menos de 257 votos contra o relatório de Benedito de Lira (PP-AL), que pede o arquivamento por falta de provas.
A votação fora adiada para a próxima semana por problemas regimentais, mas os deputados aprovaram ontem requerimento de Mabel para incluir o assunto na pauta de hoje da Câmara. O mais provável é que o plenário confirme a decisão do conselho e livre Mabel da cassação. Durante todo o dia, Mabel fez corpo-a-corpo com os colegas para evitar surpresas. “Já falei com mais de 400, e espero conversar com os demais até amanhã (hoje)”, afirmou no início da noite. Se não houver imprevistos, ele espera que menos de 100 parlamentares votem pela cassação. O maior contingente dos que desejam punir Mabel mesmo sem provas está noPSDB, PFL, PPS e PSol.
O deputado goiano será o primeiro nome a ir ao plenário após a condenação de Roberto Jefferson. Quase seis meses após a eclosão da crise política, o Conselho de Ética julgou apenas três casos: o próprio Jefferson, José Dirceu (PT-SP) e Mabel. A votação de Dirceu no plenário está marcada para o dia 23.
Restam na pauta do conselho outros11 processos. A lentidão dos trabalhos vai necessariamente levar à convocação extraordinária do Congresso. O presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), avalia que não há condições políticas para interromper os trabalhos do conselho antes da conclusão. Nem temporariamente. A convocação vai obrigar a Câmara a pagar dois salários extras aos deputados, mas Rebelo considera que se os julgamentos forem adiados o desgaste na imagem do parlamento será ainda maior.

0 Comentários:

Postar um comentário

<< Home