domingo, 7 de agosto de 2005

Rigotto lança candidatura

Executiva Nacional do PMDB vai se reunir na próxima semana em Brasília para marcar a data das prévias que definirão quem concorrerá pelo partido ao Palácio do Planalto nas eleições do ano que vem

Alon Feuerwerker

Correio Braziliense, 4 de agosto de 2005 - A Executiva Nacional do PMDB reúne-se na próxima semana em Brasília para marcar as prévias que vão definir seu candidato à Presidência da República no ano que vem. A decisão foi tomada ontem numa reunião entre quatro governadores e o presidente nacional do partido, deputado federal Michel Temer (SP).O governador gaúcho Germano Rigotto informou oficialmente no encontro que vai disputar a vaga. Além dele, já está lançado dentro do partido o ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho.A decisão de marcar as prévias atende principalmente às pressões de Garotinho. Ele tem pedido ao PMDB sinais claros de que manterá a decisão da última convenção nacional, de disputar a eleição para presidente como candidato próprio. Depois de outubro, os candidatos em 2006 não poderão mais trocar de legenda.A reunião foi realizada na residência oficial do governador do Distrito Federal, Joaquim Roriz. Além de Temer, Rigotto e Roriz, participaram os governadores de Santa Catarina, Luiz Henrique, do Paraná, Roberto Requião, e os deputados federais, Eliseu Padilha (RS), Geddel Vieira Lima (BA), Moreira Franco (RJ) e Tadeu Filipelli, este licenciado para exercer o cargo de secretário do Governo do Distrito Federal.A prévia será na forma de uma eleição direta interna, em que poderão votar todos os filiados. Há duas datas mais prováveis: novembro ou março.ResistênciaA tentativa de marcar a consulta deverá enfrentar resistência na ala governista, comandada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), e pelo senador José Sarney (AP). O PMDB tem três ministros no governo Lula: o senador Hélio Costa MG) nas Comunicações, o deputado federal Saraiva Felipe (MG) na Saúde e Silas Rondeau no Ministério de Minas e Energia.A Executiva está dividida. Saraiva é secretário-geral do PMDB, mas não poderá votar, pois o estatuto impede que ocupantes de cargos no governo continuem na direção do partido. Filipelli, alinhado a Roriz, poderá ocupar seu lugar, se deixar o GDF antes da reunião. Sobre a atual crise política, o governador gaúcho defendeu a necessidade de uma investigação completa e profunda, que resulte em punição para todos os envolvidos. “O país espera que o Congresso cumpra sua obrigação, aprofunde as investigações e puna os culpados”, afirmou.

Lei Kandir
Os governadores do Sul vieram a Brasília para protocolar no Supremo Tribunal Federal uma ação direta de inconstitucionalidade contra a Lei Kandir, que desonerou as exportações. Os três governadores peemedebistas da Região Sul mantiveram reunião, ontem pela manhã, com o ministro Nelson Jobim, presidente do STF, para anunciar a decisão de recorrer à mais alta Corte do Judiciário contra a Lei Kandir. Rigotto informou ainda que nos próximos dias os governadores vão entrar com outra ação no STF para mudar o indexador das dívidas dos governos estaduais.“É um absurdo o que está acontecendo em relação às perdas que os estados estão tendo devido a Lei Kandir”, disse Rigotto. Segundo ele, Os estados perdem com a chamada Lei Kandir cerca de R$ 18 bilhões por ano, enquanto a União só cobre R$ 5,2 bilhões e, mesmo assim, desse total, R$ 900 milhões foram contingenciados pelo Ministério da Fazenda.

1 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

Folha de S.Paulo, Painel, 8 de agosto de 2005

2006 na cabeça 1
Na quinta, os ex-BNDES Carlos Lessa e Darc Costa entregam a Michel Temer um esboço de programa de governo. Junto com o PMDB estarão governadores do partido, em almoço oferecido por Joaquim Roriz.

2006 na cabeça 2
O evento peemedebista inclui discussão das prévias para escolher o candidato do partido à Presidência, cujo resultado, diz Temer, "será obedecido".

segunda-feira, 8 de agosto de 2005 06:52:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home